domingo, 16 de fevereiro de 2020

Ah, os filhotes!!


Cheirinho de leite! Fofinho! Curioso! Brincalhão! Engraçado! Sapeca! Bagunceiro! 
Alguma semelhança com o seu cãozinho ou gatinho?

Siiim! E tem coisa mais maravilhosa do que a alegria de um filhote?

Por isso, devemos aproveitar essa fase da maneira mais tranquila e prazerosa possível porque, como nossos avós sempre falam, passa rápido...

Os filhotes são curiosos, intrépidos, brincalhões e cheios de energia pelo simples fato da natureza estar preparando cada um para a vida adulta. Observe uma ninhada: os irmãozinhos brincam o tempo todo de luta, sobem uns nos outros, mordiscam, latem, miam, se agarram, correm atrás de insetos ou pequenos animais, roem, dão cambalhotas...

Por essa razão, levam para dentro de casa práticas que nada mais são do que puro instinto. 

Mas o que fazer quando meu filhote rói os móveis, rouba objetos e sai correndo pela casa, quer me morder?

A melhor opção para todos os envolvidos é uma educação embasada no adestramento positivo. Principalmente quando especializada no comportamento natural do cãozinho e gatinho, já que as necessidades fisiológicas e básicas serão supridas por comandos e direcionadas para algo útil e recompensador. Por exemplo: seu cãozinho quer morder porque os dentinhos estão crescendo e a gengiva está dolorida e coçando terrivelmente? Dê para ele mordiscar (e acalmar o incomodo) um paninho, brinquedo de cordinha e coloque brinquedos no congelador.

Seu gatinho quer arranhar tudo, caçar a barra da sua calça ou das visitas? Ofereça um arranhador e faça brincadeiras que incentivem o instinto e caça dele (como jogar o petisco pela casa para ele sair correndo atrás).

Sim, filhotes "comem" móveis e sapatos, derrubam tudo, choram quando ficam sozinhos, colocam na boca qualquer coisa que veem pelo chão... Mas, como para tudo isso tem uma solução divertida e gratificante, comece desde já a educar com amor e positividade! E reserve o resto do dia para boas gargalhadas!!


Imagens: internet


terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Doença do carrapato: um inimigo silencioso e mortal


A doença do carrapato é uma infeção grave que acomete os cães e pode levar à morte. Ela se apresenta de duas formas:

🐾 Erliquiose - causada por uma bactéria que ataca as células de defesa, principalmente as plaquetas (responsáveis pela coagulação do sangue)

🐾 Babesiose - causada por um protozoário que ataca as células vermelhas, responsáveis pela circulação de oxigênio no sangue

Tanto a Erlíquia, como a Babesia, são transmitidas por um  carrapato chamado Rhipicephalus sanguineus. O cão adquire a doença ao entrar em contato com um carrapato que por acaso estiver infectado pela bactéria ou protozoário.


Sintomas:


Sintomas como febre, fraqueza, perda de apetite, perda de peso entre outros, podem ser encontrados tanto na Erliquiose como na Babesiose, que só através de exames laboratoriais chegamos ao diagnóstico.

Alguns sinais como a presença de carrapato no cão, mucosas (gengiva, olhos e genitálias) pálidas ou amarelas, podem indicar a infecção no seu cão, porém muitas vezes passa por despercebido pelo seu dono.

Existe cura sim para essa doença,  porém as chances são maiores, quando descoberta no início.


Tratamento:


O tratamento consiste no uso de antibióticos para cada caso ou para os dois, quando há por exemplo uma infeção pelos dois agentes.

Não existem vacinas como prevenção da doença. Entretanto podemos evita-la utilizando um bom carrapaticida próprio para cães, indicado pelo médico veterinário,  limpeza do local onde ele vive e sempre olhar pele e pêlos, principalmente após passeios em ruas e parques.

Então, fique atento com o  comportamento do seu cão. Qualquer sintoma, procure um médico veterinário.




Dra. Solange C. Regolão
CRMV - SP 16728
Contato: (11) 9 9577-5775
Instagram: @solregolao




terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Dicas e cuidados para as altas temperaturas


Que calor, eim galerinha!!!

Nessa época do ano é comum cães e gatos terem alguns probleminhas como: infestação de parasitas, viroses, doenças de pele e algum mal-estar, devido às altas temperaturas.

A seguir, dicas simples de prevenção para você e seu pet terem uma primavera e um verão saudáveis:

🐾 Deixe água à vontade, sempre fresca e limpa. Se o veterinário liberar, coloque cubos de gelo (um por vez);

🐾 Consulte o veterinário sobre frutas, sucos e sorvetes (feitos para pets);

🐾 Na hora do passeio, evite períodos muito abafados e sol forte. Verifique com a mão ou com o pé se o chão está quente. Prefira andar nas sombras e leve água para hidratação;

🐾 Se forem viajar com você, muita atenção com areia, mar e piscinas. Fique de olho o tempo todo e mantenha-os sempre por perto;

🐾 Consulte o veterinário sobre produtos específicos para proteção contra o sol, especialmente em cães de pele e pelos claros;

🐾 Não deixe seu cão viajar ou passear com a carinha para fora da janela do carro. Essa prática é perigosa e prejudicial, pois causa danos aos olhos e ouvidos. Use sempre cinto de segurança ou caixa de transporte, mesmo em dias muito abafados. Manter o carro bem refrigerado, levar água e fazer paradas de alguns minutos evitam que seu pet passe mal;

🐾 Jamais deixe cães e gatos trancados no carro. Mesmo que seja por um breve período e que esteja com o ar condicionado ligado, pois a temperatura interna do carro, quando fechado, pode subir até 5ºC, em 15 minutos. Deixar frestinhas ou mesmo as janelas abertas, além de não melhorar em nada a sensação de calor, pode ser muito perigoso para o seu pet;


🐾 Escove com frequência a pelagem do seu pet;

🐾 Tapetes e esteiras gelados são uma ótima opção;

🐾 Em dias quentes, você pode molhar os coxins (almofadas) das patas e deixar um pano umedecido com água fria para os cães e gatos;

🐾 Verifique com o veterinário se você pode ligar o ventilador em dias muito quentes para refrescar seu pet;

🐾 Nessa época do ano infestações de ectoparasitas são muito comuns, por isso, consulte seu veterinário sobre a melhor prevenção (antipulgas e anticarrapatos);

🐾 Mantenha machucados e arranhões sempre limpos e tratados, para evitar infecções e bernes;

🐾 Fique de olho em caso de hipertermia (insolação)! O processo de refrigeração na manutenção da temperatura do corpo, faz com que cães respirem pela boca como se estivessem ofegantes. Já os gatos costumam deitar de barriga pra baixo em superfícies frias para conter o calor. Sempre observe se a gengiva e dentro das orelhas estão rosadas.


Ótimo verão!!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

Cuidados essenciais para as festas de final de ano!


Para que todos tenham comemorações tranquilas, é preciso ajudar os cães e gatos a lidarem com o estresse diante de visitas, mudança na rotina e fogos de artifício, além de deixá-los longe de alimentos nocivos à saúde!  

Veja como: 

Ceia 
É proibido dar alimentos da ceia. Por terem a digestão diferente da nossa, a ingestão desses alimentos ocasionará em sérios problemas gástricos, devido a gordura, temperos, ossos do peru, doces etc.

Fugas 
Coloque no seu cão e gato coleiras e plaquinhas de identificação com nome e telefones de contato; 
Para os gatos, escolha uma coleira com fecho leve e de fácil abertura para evitar enforcamentos, caso fique presa em algum lugar; 
Não deixe portões, portas e janelas abertas e sem supervisão durante a recepção das visitas. Verifique se as telas das janelas estão bem fixas e em ordem; 
Mantenha os animaizinhos da casa perto de você ou de algum membro da família. 

Preparação para os fogos de artifício
Passeie e brinque com seu cãozinho e gatinho durante o dia, para que fiquem cansados e, consequentemente, mais relaxados durante as celebrações; 
Evite deixá-los sozinhos nesse momento; 
Acomode-os num cômodo confortável e protegido do barulho e da claridade; 
Coloque algodão parafinado nos ouvidos e retire logo que acabar o barulho; 
Crie tocas com cobertores, deixe portas abertas de armários caixotes para se esconderem; 
Deixe-os à vontade para se esconderem embaixo da cama ou em algum lugar que considerarem seguro – apenas retire do local objetos que possam machucá-los; 
Se quiserem ver ou latir para os fogos, deixe-os à vontade. Apenas, mantenha-os seguros dentro de casa ou na coleira ao seu lado. 



Hospedagem
Ao deixá-los em um canil, hotelzinho, vizinhos ou amigos:  
Visite o local, observe onde os cães e gatos ficam e como interagem. Peça para ver os animais que já estão hospedados; 
Informe todos os cuidados, rotina e dieta do seu pet; 
Tire todas as dúvidas com os responsáveis; 
Veja quais os cuidados prestados durante os fogos de artifício; 
Sempre peça indicação. 

Pet Sitter
Peça indicações de profissionais especializados;
 Marque uma visita e preste atenção na interação entre seu cão ou gato e o profissional;
 Informe todos os cuidados necessários, rotina e dieta do seu pet;
 Deixe remédios de uso contínuo, telefone do veterinário e de uma clínica 24 horas de confiança;
 Peça o envio de fotos e vídeos diários para acompanhamento à distância. 




OBS.: Converse com seu veterinário sobre florais ou medicamentos antiestresse.

Com essas dicas, a equipe do Espaço pra Cachorro deseja a todos um NATAL E ANO NOVO TRANQUILOS E MUITO FELIZES!!!

Imagens: internet