terça-feira, 16 de julho de 2019

Dicas e cuidados para o inverno!


Que frioooo, minha gente!!! Pensa que só os humanos sentem frio? Alguns cães e gatos também sentem.

Filhotes e idosos devem ter atenção dobrada nesta época do ano, já que a pelagem não é suficiente e a camada de gordura não tão espessaOs mais velhos costumam sofrer com artrose, sentir dores na coluna, nas articulações e os músculos ficam atrofiados (consulte o médico veterinário).

Por isso, preparamos dicas importantes, para que todos tenham um inverno bem quentinho e agradável:

🐾Ofereça abrigo protegido de vento, chuva e sereno;

🐾Evite que o colchão fique em contato com o chão frio (coloque um estrado embaixo ou pano grosso, por exemplo). Forre a casinha ou caminha com cobertas. Iglus são ótimos para proteger os gatos do frio;

🐾Nem todos os cães e, muito menos os gatos, necessitam de roupas. Alguns sentem mais frio, outros, a proteção da própria pelagem costuma ser suficiente. Observe seu animalzinho e consulte o veterinário, pois ao invés de ajuda-lo, você pode até prejudica-lo. Dependendo da necessidade, o uso de roupinhas pode manter o conforto térmico do seu animal, mas elas não devem ser apertadas ou restringir os movimentos. Além disso, muitas vezes é necessário fazer uma adaptação, para que o animal sinta-se confortável com a roupa;

🐾Evite deixar cães e gatos na chuva. Se seu cão precisa sair, providencie uma capinha de chuva e, após o passeio, enxugue-o muito bem;

🐾Evite deixar os gatinhos fora de casa à noite; 

🐾Estimule banhos de sol;

🐾No frio, cães e gatos tendem a procurar por lugares quentes, encolherem-se num canto e até tremerem. Para saber se o gato está com frio, veja se patinhas e as pontas das orelhas estão geladas;

🐾No inverno, banhos devem ser mais espaçados (consulte o veterinário);

🐾Diminua os banhos em casa ou dê na hora mais quente do dia e sempre com água morna;

🐾Em casa ou no pet shop, seque muito bem com toalha e secador, pois a umidade causa fungos, dermatites e problemas respiratórios;

🐾Proteja bem os ouvidos dos pets para evitar otite, principalmente durante e após o banho (seque com algodão, além da toalha);

🐾Em caso de pouca sujeira, opte pelo banho seco ou lenço umedecido;

🐾Mantenha as vacinas em dia, principalmente as que combatem gripe canina e felina. No inverno, a imunidade costuma baixar e o risco de doenças e patologias respiratórias aumentam.
-------------------------------------------------------------------
Curiosidade: Tanto a gripe canina (H3N8) como a gripe felina (Complexo Respiratório Viral Felino ou Rinotraqueíte Felina) não são transmitidas para humanos, somente entre as espécies. Da mesma forma, a gripe humana também não é transmitida para animais.

Ação social: Ajude a aquecer o inverno de cães e gatos! Doe mantas, casinhas, caminhas, roupinhas ou toalhas usadas. Clique aqui e saiba mais!
(foto: AliExpress.com)

quinta-feira, 30 de maio de 2019

Doença do carrapato: um inimigo silencioso e mortal


A doença do carrapato, é uma infeção grave que acomete os cães e pode levar à morte. Ela se apresenta de duas formas:

🐾 Erliquiose - causada por uma bactéria que ataca as células de defesa, principalmente as plaquetas (responsáveis pela coagulação do sangue)

🐾 Babesiose - causada por um protozoário que ataca as células vermelhas, responsáveis pela circulação de oxigênio no sangue

Tanto a Erlíquia, como a Babesia, são transmitidas por um  carrapato chamado Rhipicephalus sanguineus. O cão adquire a doença ao entrar em contato com um carrapato que por acaso estiver infectado pela bactéria ou protozoário.


Sintomas:


Sintomas como febre, fraqueza, perda de apetite, perda de peso entre outros, podem ser encontrados tanto na Erliquiose como na Babesiose, que só através de exames laboratoriais chegamos ao diagnóstico.

Alguns sinais como a presença de carrapato no cão, mucosas (gengiva, olhos e genitálias) pálidas ou amarelas, podem indicar a infecção no seu cão, porém muitas vezes passa por despercebido pelo seu dono.

Existe cura sim para essa doença,  porém as chances são maiores, quando descoberta no início.


Tratamento:


O tratamento consiste no uso de antibióticos para cada caso ou para os dois, quando há por exemplo uma infeção pelos dois agentes.

Não existem vacinas como prevenção da doença. Entretanto podemos evita-la utilizando um bom carrapaticida próprio para cães, indicado pelo médico veterinário,  limpeza do local onde ele vive e sempre olhar pele e pêlos, principalmente após passeios em ruas e parques.

Então, fique atento com o  comportamento do seu cão. Qualquer sintoma, procure um médico veterinário.




Dra. Solange C. Regolão
CRMV - SP 16728
Contato: (11) 9 9577-5775
Instagram: @solregolao




terça-feira, 7 de maio de 2019

Campanha identificação na galerinha!

Por que devo identificar meu cãozinho e gatinho?

Apesar de parecer besteira, a identificação dos nossos amiguinhos é muito importante para garantirmos sua segurança e provarmos que, sim, eles têm uma família por quem são cuidados e amados.

O que a identificação tem a ver com cuidado e amor? 

Infelizmente, é comum cães e gatos escaparem por instinto, por algo que os assustou, dentre outros motivos. Caso isso aconteça, a identificação com seu nome e telefone aumentará as chances de serem encontrados e devolvidos o mais rápido possível! Isso é ter cuidado e amor por seu amigo! 

Mas meu animalzinho passa a maior parte do tempo dentro de casa. Preciso identificá-lo? 

Sim, pois seu cão ou gato pode fugir quando a porta estiver aberta... em um passeio, a coleira pode arrebentar ou soltar... ele pode pular o muro ou aproveitar que o portão da casa abriu e, até mesmo, ser levado por alguém. Sendo assim, o uso deve ser 24 horas por dia!! 

Como devo identificá-lo? 


Você pode comprar uma plaquinha de identificação em pet shop, bordar ou escrever num pedaço de tecido. Sempre com os dados: nome do cão ou gato e seu telefone.
Depois, coloque numa coleira resistente e confortávelJamais utilize enforcadores e elásticos! O cãozinho e gatinho podem se prender em algum galho ou saliência e acabar sendo machucados e até enforcados. 
Lembre-se: a identificação deve sempre estar atualizada e legível!

          Mas, por que meu cão ou gato fugiria?

Pelos seguintes motivos:

🐾 cadela ou gata no cio;
🐾 instinto de caçacuriosidade ou necessidade de reconhecer o território (principalmente um novo lugar);  
🐾 medo de trovão, fogos de artifício ou qualquer barulho assustador; 
🐾 ansiedade de separação;
🐾 cão e gato em hospedagem, num local desconhecido, que fogem tentando voltar para casa;
🐾 animais idosos ou doentes tendem a ficar desorientados e podem se perder (mesmo em lugares que já conhecem); 
🐾 busca por comida, principalmente se o vizinho está fazendo aquele churrasco!

Há outras formas de identificação? 

Além das plaquinhas, você pode fazer um RGA (Registro Geral Animal) para seu pet ou optar pela aplicação de um microchip:


RGA -> Carteira de identidade para seu cão ou gato. Ao registrá-lo, você recebe uma plaqueta para colocar na coleira permanentemente.
Microchip -> Micro-circuito eletrônico, de tamanho aproximado a um grão de arroz, que é implantado sob a pele. Contém um código exclusivo e inalterável que transmite informações do registro.

Mais informações? Clique aqui e acesse o site do CCZ!

Imagens internet

segunda-feira, 25 de março de 2019

Dicas para escolher onde hospedar seu pet



Como são muitas as opções para hospedagem de cães e gatos, entre hotéis e anfitriões que cuidam em casa, sempre ficamos apreensivos sobre qual a melhor decisão. Afinal, trata-se de deixarmos nossos cãezinhos e gatinhos sob os cuidados de outra pessoa.

Há ofertas para todos os gostos e bolsos. Há profissionais na área e pessoas, não tão qualificadas, que se dispõem a cuidar de cães e gatos para complementar a renda. A maioria das hospedagens são especializadas e estruturadas, mas qualidade, seriedade e competência variam muito de um lugar para outro (e de pessoa para pessoa).

Não é necessário escolher um lugar caro e sofisticado, contanto que os cuidados abaixo sejam definidos e cumpridos:

🐾 Pessoas com experiência e que gostam de animais;
🐾 Segurança: portões, telas, grades e cercas (para evitar fugas), sem objetos ou estruturas cortantes, inflamáveis ou intoxicantes, além de vigilância ou alarme para evitar roubos;
🐾 Alimentação: ministrada de maneira organizada, em horários determinados para manter a rotina do pet;
🐾 Espaço físico adequado: para caminhadas, corridas e brincadeiras, sem que haja a necessidade de passeios externos que podem ocasionar fugas;
🐾 Acomodações: baias com colchonetes, limpas, arejadas, com espaço e altura suficientes para a livre movimentação, ou seja, nada de gaiolas;
🐾 Higiene apropriada: com produtos antissépticos veterinários para evitar problemas dermatológicos, infecções ou transmissão de parasitas, fungos e bactérias;
🐾 Triagem: verificação da vacinação, vermifugação e antipulgas, além de cuidados especiais para evitar cruzas indesejadas (muitos preferem hospedar cães e gatos castrados);
🐾 Monitoramento em tempo integral: enquanto os hóspedes estiverem acordados, para evitar incidentes como brigas;
🐾 Atividades recreativas: para tornar a hospedagem mais divertida e compensar a saudade.

[[  ATENÇÃO: Visite as instalações e evite locais que têm gaiola pois, é bem provável que, em algum momento, seu pet seja colocado nela. E isso é inadmissível, pois queremos que ele seja bem tratado e tenha o conforto que merece!   ]]


Todo detalhe é importante e todo cuidado é pouco! Qualquer descuido pode ser fatal! Mesmo que haja algum tipo de seguro, nada compensará a perda de um ente querido por fuga ou falecimento, ou ainda, incapacitação e feridas que podem nunca mais serem totalmente curadas.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Dicas e cuidados para as altas temperaturas


Que calor, eim galerinha!!!

Nessa época do ano é comum cães e gatos terem alguns probleminhas como: infestação de parasitas, viroses, doenças de pele e algum mal-estar, devido às altas temperaturas.

A seguir, dicas simples de prevenção para você e seu pet terem uma primavera e um verão saudáveis:

🐾 Deixe água à vontade, sempre fresca e limpa. Se o veterinário liberar, coloque cubos de gelo (um por vez);

🐾 Consulte o veterinário sobre frutas, sucos e sorvetes (feitos para pets);

🐾 Na hora do passeio, evite períodos muito abafados e sol forte. Verifique com a mão ou com o pé se o chão está quente. Prefira andar nas sombras e leve água para hidratação;

🐾 Se forem viajar com você, muita atenção com areia, mar e piscinas. Fique de olho o tempo todo e mantenha-os sempre por perto;

🐾 Consulte o veterinário sobre produtos específicos para proteção contra o sol, especialmente em cães de pele e pelos claros;

🐾 Não deixe seu cão viajar ou passear com a carinha para fora da janela do carro. Essa prática é perigosa e prejudicial, pois causa danos aos olhos e ouvidos. Use sempre cinto de segurança ou caixa de transporte, mesmo em dias muito abafados. Manter o carro bem refrigerado, levar água e fazer paradas de alguns minutos evitam que seu pet passe mal.

🐾 Jamais deixe cães e gatos trancados no carro. Mesmo que seja por um breve período e que esteja com o ar condicionado ligado, pois a temperatura interna do carro, quando fechado, pode subir até 5ºC, em 15 minutos. Deixar frestinhas ou mesmo as janelas abertas, além de não melhorar em nada a sensação de calor, pode ser muito perigoso para o seu pet;


🐾 Escove com frequência a pelagem do seu pet;

🐾 Tapetes e esteiras gelados são uma ótima opção;

🐾 Em dias quentes, você pode molhar os coxins (almofadas) das patas e deixar um pano umedecido com água fria para os cães e gatos;

🐾 Verifique com o veterinário se você pode ligar o ventilador em dias muito quentes para refrescar seu pet;

🐾 Nessa época do ano infestações de ectoparasitas são muito comuns, por isso, consulte seu veterinário sobre a melhor prevenção (antipulgas e carrapatos);

🐾 Mantenha machucados e arranhões sempre limpos e tratados, para evitar infecções e bernes;

🐾 Fique de olho em caso de hipertermia (insolação)! O processo de refrigeração na manutenção da temperatura do corpo, faz com que cães respirem pela boca como se estivessem ofegantes. Já os gatos costumam deitar de barriga pra baixo em superfícies frias para conter o calor. Sempre observe se a gengiva e dentro das orelhas estão rosadas.